Segunda-feira, 2 de Março de 2009

Morfologia da dáfnia

 

               As Dáfnias não possuem um corpo distintamente segmentado. Têm uma carapaça em forma de concha dobrada ao meio e aberta no ventre, isto é, têm um exoesqueleto transparente, o que possibilita a observação ao microscópio óptico da sua morfologia.

Visto que na apresentação do Projecto já tínhamos visto as dáfnias em movimento, estávamos expectantes em relação à observação em tempo real.
Assim, foi com surpresa que observamos os órgãos internos, com especial incidência para os batimentos cardíacos e mesmo para os ovos e embriões no interior da cavidade incubadora.
As dáfnias para crescerem sofrem um processo normal e semelhante à mudança de pele de alguns répteis, isto é, sofrem muda, vão perdendo o seu exoesqueleto e posteriormente formando outro.
 
Características morfológicas:
 
♦  Olho composto - resulta da fusão de dois olhos compostos diferentes, ainda em estado de embrião, e é constituído por um número variável de cristalinos envolvendo uma massa pigmentar, o que permite o movimento do olho em várias direcções.
♦  Primeiras antenas ou antenulas - localizadas na face ventral da cabeça, são constituídas por sedas sensoriais, apresentando-se mais desenvolvidas nos machos.
♦  Segundas antenas ou antenas - localizadas mais exteriormente, nos lados da cabeça, permitem o seu “pular” dentro de água.
♦  Patas torácicas - possuem cinco pares, sendo constituídas por sedas e "espinhos" sedosos que permitem a realização das trocas gasosas e a captura de alimento.
Tubo digestivo - inicia-se na boca e termina no recto e ânus.  
♦  Coração - sáculo transparente e de forma oval, situado no dorso anterior do tórax.  
 
Os machos apresentam menor dimensão relativamente às fêmeas e possuem antenas mais compridas. As fêmeas apresentam um abdómen com formato diferente com:
 
  ♦  Câmara incubadora - sáculos situados no dorso das fêmeas, onde se encontram os ovos e se desenvolvem os embriões (se forem ovos partenogénicos).
  ♦  Ovários - dispostos de cada um dos lados do tubo digestivo, na região torácica.
 

 

publicado por aequipadafniense às 14:59
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Referências bibliográfica...

. E para finalizar ...

. Continuando ...

. Esperem para ver!

. Conclusão

. Resultados

. Protocolo experimental

. Aula laboratorial

. As drogas e os seus efeit...

. Reprodução

.arquivos

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds